top of page

Conférences à venir

visuel site internet conf bagatelle.png

PENSE NA FLORESTA

 

Com Gilles Van Peteghem e Daniel Perron ​

 

Quarta-feira, 25 de novembro de 2023 - Reunião de assinatura em torno do trabalho “Pensar a floresta, agir contra o Antropoceno” com Gilles Van Peteghem, engenheiro florestal, chefe da Comissão Organizadora do XX Congresso da União Europeia de Silvicultores em 2021, e Daniel Perron.

ÉVÉNEMENTS PASSÉS

Rencontre avec Daiara Tukano (BR) et Clarisse da Silva (FR), Artistes et militantes autochtones.

Les artistes et militantes Daiara Tukano (BR) et Clarisse Da Silva (FR) se retrouvent mardi 19 mars à l'Espace Frans Krajcberg pour évoquer, ensemble et avec vous, les liens qui existent entre art, cosmopolitismes et luttes pour un mode de vie plus harmonieux. 

Pour revoir la conférence cliquez ici (lien facebook).

POST INSTA MARS 2024.png
Capture d’écran 2024-01-03 à 16.28.24.png

PENSE NA FLORESTA

 

Com Gilles Van Peteghem e Daniel Perron ​

 

Quarta-feira, 25 de novembro de 2023 - Reunião de assinatura em torno do trabalho “Pensar a floresta, agir contra o Antropoceno” com Gilles Van Peteghem, engenheiro florestal, chefe da Comissão Organizadora do XX Congresso da União Europeia de Silvicultores em 2021, e Daniel Perron.

publications instagram-4.png

PENSE NA FLORESTA

 

Com Gilles Van Peteghem e Daniel Perron ​

 

Quarta-feira, 25 de novembro de 2023 - Reunião de assinatura em torno do trabalho “Pensar a floresta, agir contra o Antropoceno” com Gilles Van Peteghem, engenheiro florestal, chefe da Comissão Organizadora do XX Congresso da União Europeia de Silvicultores em 2021, e Daniel Perron.

Objetos Vivos

Com Rahma Shazam e Brigitte Adès

Quarta-feira, 25 de outubro de 2023 - O Espace Frans Krajcberg recebe a pesquisadora Rahma Khazam e a jornalista Brigitte Adès para um diálogo em torno da obra coletiva Objets Vivants Editions Mimésis, publicada em 2023 sob a direção de Rahma Khazam.

Encontre o link para a conferência aqui.

prochains posts insta-2-2.png

ORDEM DAS COISAS

Com Livia Melzi, Emilio Azevedo, Laila Melchior

Quarta-feira, 4 de outubro de 2023 - Encontro-debate em torno da obra dos dois artistas e dos temas levantados pela Exposição Quarta-feira, 4 de outubro, às 18h30, no Espace Frans Krajcberg. ​

 

Encontre aqui o link para a conferência-debate em torno da exposição ORDEM DAS COISAS.

1 (45)_edited.jpg

PENSE NA FLORESTA

 

Com Gilles Van Peteghem e Daniel Perron ​

 

Quarta-feira, 25 de novembro de 2023 - Reunião de assinatura em torno do trabalho “Pensar a floresta, agir contra o Antropoceno” com Gilles Van Peteghem, engenheiro florestal, chefe da Comissão Organizadora do XX Congresso da União Europeia de Silvicultores em 2021, e Daniel Perron.

Capture d'écran 2023-07-06 155847.png

PERMACULTURA HUMANA


com Perrine Bulgheroni, Serge Orru e SSéverine Assouline

 

O que é a permacultura? Qual é a sua origem?

Para além da biologia pura, a permacultura refere-se a uma ética e a uma forma de olhar o mundo, observando e duplicando as dinâmicas naturais e aplicando-as às sociedades e às relações inter-humanas, com uma preocupação constante de eficiência, sustentabilidade e resiliência.

Na prática, "estar atento ao humano" significa, antes de mais, estar atento a si próprio e às suas necessidades primárias, para depois poder estar atento aos outros e, por extensão, à comunidade. O nosso sistema atual cria desigualdades e grandes problemas humanos... O que podemos fazer? Como é que podemos tomar decisões em conjunto e garantir que todos expressam o seu ponto de vista? Estas são todas as questões a que a permacultura humana procura responder, analisando novos modos de governação, de tomada de decisões e de organização colectiva. A permacultura humana é a arte de apoiar o desenvolvimento de comunidades humanas que partilham a ética da permacultura, para que possam ser autónomas, maduras e resilientes.

Este novo encontro é organizado no seguimento da conferência intitulada Peuples autochtones et nature: un exemple inspirant de préservation de l'environnement, que teve lugar em 3 de março de 2021 no Espace Frans Krajcberg (com os convidados Charles Hervé-Gruyer, da Ferme Biologique du Bec-Hellouin, e Fiore Longo, responsável pela defesa da Survival International France). O objetivo é dar visibilidade a estas práticas, inspiradas nas comunidades indígenas, que são essenciais para a preservação dos nossos ecossistemas... e do futuro da humanidade!

 

Para voltar a ver a conferência

27.jpg

SONHANDO COM A TERRA: REUNIÕES 


Defesa e recuperação de territórios, empoderamento dos povos indígenas: perspectivas do Brasil e da Guiana 

  

24 de maio de 2023 - "Rêver la Terre" é uma resposta coletiva, híbrida e plural ao Grito pelo Planeta de Frans Krajcberg diante da destruição da floresta. 
 
Neste primeiro encontro e debate, estamos convidando mulheres artistas e ativistas para falar sobre seu compromisso com a Amazônia, a partir da perspectiva da Guiana Francesa e do Brasil. 

  

Quais são os principais desafios que elas enfrentam hoje? Quais foram as ações mais influentes das quais elas participaram, em termos de proteção do território e de reconhecimento e empoderamento dos povos indígenas? Que papel a arte contemporânea desempenhou em sua luta? 


ORADORES: 

 

CLARISSE DA SILVA 

TRUDRUÁ DORRICO

YUUWEY HENRI

SURVIVAL INTERNATIONAL (ONG)

CONVIDADOS ESPECIAIS : 

 

ELOY TERENA  

NEIDINHA BENDEIRA SURUITXAI SURUI 

KASSIA BORGES - MAHKU COLLECTIVE 

 

Para ver a conferência novamente

A venir ... (15).png

CONCERTO e PROJEÇÃO

25 de janeiro de 2022 - Mergulhe no universo do grande compositor Heitor Villa Lobos (1887-1959).

Exibição do filme "Heitor Villa-Lobos, l'âme de Rio", dirigido por Eric Darmon, co-escrito por Anaïs Fléchet - produção Arline Films (2008-52min) 

- Abertura - Antologia Villa-Lobos, Obras para instrumento de sopro op1. & op.2 le Concert Impromptu convida você a descobrir a obra de Villa-Lobos para instrumentos de sopro em duas obras que combinam seus choros, bachianas, Ciranda e referências aos índios tanto quanto a Bach ou Stravinsky.

- Debate/conferência presidida por Anaïs Fléchet, professora de história contemporânea - Université Paris-Saclay, com Eric Darmon, Violaine Dufès, diretora artística do Concerto improvisado, e Yves Charpentier, fundador do conjunto. 20h30.
Um diálogo musical com as obras de Frans Krajcberg, para uma imersão brasileira no mundo de dois artistas, parisienses de coração!


O compositor Heitor Villa-Lobos é a figura emblemática da "música erudita" brasileira. Com suas origens portuguesas e indianas, sua vida aventureira, seu apego à França e a Paris em particular, seu compromisso de dar vida à sua música, transmitindo-a ao povo brasileiro e impondo-a no cenário internacional, e seu gênio e poder criativo, ele deixou uma marca indelével na música clássica do século XX.

Frans-Krajcberg-le-militant.webp

"CONFERÊNCIA "PAROLES D'ARBRES

 

23 de julho de 2022 - Um encontro no coração da floresta no Espace Frans Krajcberg, Centre d'Art contemporain, Art & Nature!


Diálogo entre Lionel Guibout, Michel Neff - agente da cidade de Paris no Service de l'Arbre et des Bois no Bois de Vincennes e Marie-Laure Verroust-Blisten - jornalista de patrimônio na revista La Demeure Historique para patrimônio monumental e jardins, e coautora do livro "La Sédelle, un arboretum dans son paysage".

cause-logo-cfb9628724adef28349c2dbc5861c8d7.webp

MUSEUS E CENTROS DE ARTE CONTEMPORÂNEA: RETRANSMISSORES DE LUTAS LOCAIS?

 

26 de março de 2021 - Conferência ao vivo em nossa página do Facebook 
Survival International / Espaço Frans Krajcberg 

  

Para esta quarta conferência de nossa série "Resistência: natureza, arte e povos indígenas", temos o prazer de receber a Pinacoteca de São Paulo e a Fondation Cartier pour l'art contemporain para falar sobre o papel dos museus e centros de arte contemporânea na transmissão das lutas indígenas. 

  

 A Pinacoteca de São Paulo é um museu de artes visuais que se concentra na produção brasileira do século XIX até os dias atuais, em diálogo com as culturas mundiais. O mais antigo museu de arte da cidade, fundado em 1905 pelo governo do Estado de São Paulo, organiza exposições de seu famoso acervo de arte brasileira e mostras temporárias de artistas nacionais e internacionais. 

 
Pela primeira vez, a Pinacoteca produziu uma exposição dedicada à produção indígena contemporânea, com curadoria da pesquisadora indígena Naine Terena. "Véxoa: Nós sabemos" apresenta 23 artistas/coletivos indígenas de diferentes regiões do Brasil. 
A curadora da exposição, Naine Terena, e o diretor geral da Pinacoteca, Jochen Volz, estarão presentes na transmissão ao vivo. 

  

Espaço de criação para artistas e ponto de encontro entre a arte e o público em geral, a Fondation Cartier pour l'art contemporain tem como objetivo promover a criação contemporânea e disseminar o conhecimento sobre ela. A Fundação será representada por Leanne Sacramone, curadora da Fondation Cartier pour l'art contemporain e co-curadora da exposição "Claudia Andujar. A luta Yanomami". 

  

Você pode assistir a essa conferência novamente em nossa página do Facebook,

A venir ... (3).png

PENSAMENTO VEGETAL

  

14 de dezembro de 2022 - La Pensée végétale: Encontro/assinatura com Marc William Debono no Espace Frans Krajcberg!  

  

Como um pensamento vegetal pode se desenvolver sem que seu instigador saiba? 

O surgimento do pensamento além da experiência, a plasticidade do vivo, a escrita poética e as raízes emaranhadas... Todos esses são caminhos que tocam nossa inteligência sensível e nossas visões íntimas da árvore da vida. 

Junte-se a Marc William Debono (neurobiólogo e poeta) em uma jornada poética para descobrir as formas únicas de inteligência nos seres vivos. 
Um diálogo com Bénédicte Letellier (Professora de Literatura Comparada), moderado pelo Professor Norman Cornett (Montreal, Quebec). 

  

Sobre o autor:Marc-William Debono é autor, poeta e pesquisador de neurobiologia, especializado em eletrobiologia vegetal. Atualmente, é responsável pela seção Art & Science ID do coletivo Culture 91 (Essonne). Em 2008, publicou um ensaio de poesia, l'épissure des mots, com L'Harmattan, e em 2020 publicou l'intelligence des plantes en question com Hermann, um ensaio que propõe um diálogo na encruzilhada das artes, ciências e humanidades sobre o fenômeno inteligente, a sensibilidade e a extrema alteridade das plantas.

para ver a conferência novamente

UMA HISTÓRIA DE RESISTÊNCIA INDÍGENA NO BRASIL E NA GUIANA FRANCESA

 

10 de fevereiro de 2021 - Você se lembra que a floresta amazônica se estende até a França e é (parcialmente) parte da União Europeia?
Você se lembra que algumas comunidades indígenas falam francês e são nossos concidadãos?


Por mais estranho que possa parecer, já é hora de nos alarmarmos com o destino dessas pessoas e da floresta que Frans Krajcberg e Sebastião Salgado defenderam de corpo e alma.

O objetivo da nossa segunda conferência com a Survival International é falar sobre a resistência indígena na Amazônia francesa (Guiana) e brasileira, e estamos convidando a Juventude Indígena da Guiana e de Outros Brasis para testemunhar.

 

Você pode assistir à conferência em nossa página do Facebook clicando neste link: 

Contos da resistência indígena amazônica: exemplos cruzados do Brasil e da Guiana Francesa | Facebook

Capture d'écran 2023-07-18 122413.png

PERMACULTURA HUMANA


com Perrine Bulgheroni, Serge Orru e SSéverine Assouline

 

O que é a permacultura? Qual é a sua origem?

Para além da biologia pura, a permacultura refere-se a uma ética e a uma forma de olhar o mundo, observando e duplicando as dinâmicas naturais e aplicando-as às sociedades e às relações inter-humanas, com uma preocupação constante de eficiência, sustentabilidade e resiliência.

Na prática, "estar atento ao humano" significa, antes de mais, estar atento a si próprio e às suas necessidades primárias, para depois poder estar atento aos outros e, por extensão, à comunidade. O nosso sistema atual cria desigualdades e grandes problemas humanos... O que podemos fazer? Como é que podemos tomar decisões em conjunto e garantir que todos expressam o seu ponto de vista? Estas são todas as questões a que a permacultura humana procura responder, analisando novos modos de governação, de tomada de decisões e de organização colectiva. A permacultura humana é a arte de apoiar o desenvolvimento de comunidades humanas que partilham a ética da permacultura, para que possam ser autónomas, maduras e resilientes.

Este novo encontro é organizado no seguimento da conferência intitulada Peuples autochtones et nature: un exemple inspirant de préservation de l'environnement, que teve lugar em 3 de março de 2021 no Espace Frans Krajcberg (com os convidados Charles Hervé-Gruyer, da Ferme Biologique du Bec-Hellouin, e Fiore Longo, responsável pela defesa da Survival International France). O objetivo é dar visibilidade a estas práticas, inspiradas nas comunidades indígenas, que são essenciais para a preservação dos nossos ecossistemas... e do futuro da humanidade!

 

Para voltar a ver a conferência

A venir ....png

PERMACULTURA HUMANA


com Perrine Bulgheroni, Serge Orru e SSéverine Assouline

 

O que é a permacultura? Qual é a sua origem?

Para além da biologia pura, a permacultura refere-se a uma ética e a uma forma de olhar o mundo, observando e duplicando as dinâmicas naturais e aplicando-as às sociedades e às relações inter-humanas, com uma preocupação constante de eficiência, sustentabilidade e resiliência.

Na prática, "estar atento ao humano" significa, antes de mais, estar atento a si próprio e às suas necessidades primárias, para depois poder estar atento aos outros e, por extensão, à comunidade. O nosso sistema atual cria desigualdades e grandes problemas humanos... O que podemos fazer? Como é que podemos tomar decisões em conjunto e garantir que todos expressam o seu ponto de vista? Estas são todas as questões a que a permacultura humana procura responder, analisando novos modos de governação, de tomada de decisões e de organização colectiva. A permacultura humana é a arte de apoiar o desenvolvimento de comunidades humanas que partilham a ética da permacultura, para que possam ser autónomas, maduras e resilientes.

Este novo encontro é organizado no seguimento da conferência intitulada Peuples autochtones et nature: un exemple inspirant de préservation de l'environnement, que teve lugar em 3 de março de 2021 no Espace Frans Krajcberg (com os convidados Charles Hervé-Gruyer, da Ferme Biologique du Bec-Hellouin, e Fiore Longo, responsável pela defesa da Survival International France). O objetivo é dar visibilidade a estas práticas, inspiradas nas comunidades indígenas, que são essenciais para a preservação dos nossos ecossistemas... e do futuro da humanidade!

 

Para voltar a ver a conferência

Capture d'écran 2023-06-07 150725.png

AS FLORESTAS FRANCESAS E O AQUECIMENTO GLOBAL

  

15 de março de 2023 - uma conferência sobre o impacto e os desafios enfrentados pelas florestas francesas diante do aquecimento global, apresentada por Gilles Van Peteghem, engenheiro florestal e chefe do Comitê Organizador do XX Congresso da União Europeia de Silvicultores em 2021, 

  

No período que antecede o Dia Nacional da Floresta, em 21 de março, vamos abrir o debate fazendo um balanço do estado de nossas florestas e dos desafios que elas enfrentam! 
 
Como parte da exposição "Frans Krajcberg, the Militant", que homenageia a luta de Frans Krajcberg para denunciar o desmatamento em massa, pelo qual ele recebeu várias ameaças de morte, nós o convidamos a olhar mais de perto o ambiente ao seu redor. 
 
"Por meio de minhas habilidades florestais adquiridas durante meu treinamento e cursos profissionais, pareceu-me óbvio que eu deveria transmitir ao maior número possível de pessoas o que recebi ao colocar a Árvore e a Floresta de volta no centro da aldeia. É também uma forma de perpetuar o vínculo intergeracional que nossas árvores e florestas representam tão bem. - Gilles Van Peteghem 

Fresque du climat (16).png

OS ANOS 1970-2000: ARTE MILITANTE NA FRANÇA E NO BRASIL 

  

15 de fevereiro de 2023 - uma conferência conduzida por Gilles Clément, Jacques Leenhardt e Claude Mollard. 

  

Qual tem sido o compromisso artístico com o planeta em cada lado do Atlântico? 

 Que eventos "ecológicos" em museus marcaram esse período? 

  

Os anos do pós-guerra foram marcados por profundas mudanças, com a tecnologia e a revolução industrial crescendo como nunca antes. A natureza parecia inesgotável! 
 
Colhíamos sem calcular o custo, mesmo que isso significasse destruir extensões inteiras de terra. Em todo o mundo, as vozes estão começando a se levantar, mas permanecem isoladas. 


Na França, em 1971, foi criado o Ministério do Meio Ambiente, responsável pela proteção da natureza e do meio ambiente. No Brasil, Brasília estava sendo construída, a rodovia transamazônica atravessava o país e as florestas estavam pegando fogo! Frans Krajcberg se empenhou com força em denunciar e gritar sua revolta.  
 
As exposições de 1975 no CNAC, o precursor do Centre Pompidou, onde Frans Krajcberg conheceu Claude Mollard, e a exposição "Villette-Amazone, Manifeste pour l'environnement au XXIe siècle" (com curadoria de Jacques Leenhardt e Bettina Laville), em 1996, foram os pontos altos. Os debates atraíram grandes públicos. Em La Villette, Frans Krajcberg tomou conta do Grande Halle com uma floresta de 140 "Revolts", totens feitos de madeira queimada proveniente do desmatamento. "O século XXI será cultural ou não será", afirma o Manifesto no catálogo. O arquiteto paisagista Gilles Clément participou da aventura. Três anos depois, ele lançou seu Planetary Garden no mesmo local, "um projeto político de ecologia humanista".

17.png

YANN ARTHUS-BERTRAND - "VU DU COEUR" 

 

7 de dezembro de 2022 - Seguindo os passos de Frans Krajcberg, que colocou toda a sua arte a serviço do planeta, Yann Arthus-Bertrand é um artista comprometido com a "grande luta do século XXI".


Sua carreira única aumentou nossa conscientização sobre as questões ambientais.
Durante uma hora, o artista compartilhará com você sua história e as razões de seu compromisso a serviço da humanidade e da biodiversidade!

Capture d'écran 2023-06-08 141757.png

POVOS INDÍGENAS E NATUREZA: UM EXEMPLO INSPIRADOR DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL

 

3 de março de 2021 - Para esta terceira conferência da série "Resistência, natureza, arte e povos indígenas", temos o prazer de dar as boas-vindas a Charles Hervé-Gruyer, da Ferme Biologique du Bec-Hellouin, e a Fiore Longo, oficial de defesa da Survival.

Como Jeremy Rifkin destaca, as sociedades ocidentais não conseguiram evoluir sem destruir nosso meio ambiente, ao contrário dos povos indígenas, que hoje são os únicos modelos de sociedades humanas que respeitam o espaço em que vivem há séculos.

80% da biodiversidade da Terra é encontrada em territórios indígenas. Charles aproveitou essa experiência e conhecimento após viver com povos indígenas na América para criar sua fazenda de permacultura, La Ferme Biologique du Bec Hellouin, um oásis de biodiversidade. Em seus jardins e pomares, atravessados pelo rio Bec, os visitantes podem descobrir 500 variedades de árvores frutíferas, inúmeros vegetais, plantas aromáticas e medicinais, além de uma variedade de animais.

 

Para Charles, aproveitar esse conhecimento e essa prática indígena é essencial se quisermos preservar nossos ecossistemas.

 

No entanto, no setor de conservação da natureza, o oposto geralmente é verdadeiro. Os melhores guardiões da natureza são expulsos e têm seus direitos violados em nome da chamada "proteção da natureza".

 

Fiore Longo, responsável pela campanha "Decolonising nature conservation", falará sobre o colonialismo verde e por que é urgente para o planeta e para a humanidade colocar os povos indígenas no centro do movimento ecológico.

 

Você pode assistir à conferência novamente em nossa página do Facebook

Capture d'écran 2023-06-08 151545.png

A VOZ DOS ARTISTAS INDÍGENAS CONTEMPORÂNEOS

 

28 de abril de 2021 - Para esta quinta conferência de nossa série "Resistência: natureza, arte e povos indígenas", temos o prazer de receber as artistas indígenas Kássia Borges e Ibã Huni Kuin. Eles falarão conosco sobre suas práticas artísticas e o papel fundamental da arte contemporânea para dar voz às suas comunidades.

Sobre as artistas e o coletivo:

 Kássia Borges, do povo Karajá (iny), é artista, curadora e professora.
Sua pesquisa enfoca as origens, o feminino e a ancestralidade, nas áreas de cerâmica, fotografia, desenho, instalação, mídia mista, escultura e vídeo.

Kassia Borges tem uma carreira internacional; viveu na Europa, onde fez residências na Alemanha e na França.
Seu trabalho reflete esse encontro entre as influências de artistas ocidentais, como Joseph Beuys, e a transmissão da linguagem indígena brasileira.
Atualmente, é professora de arte tridimensional e cerâmica na Universidade Federal de Uberlândia.
Paralelamente à sua carreira como artista solo, é membro do coletivo MAHKU e traduz para a pintura os cantos sagrados de seu parceiro Ibã.

 

Isaías Sales (Ibã) é originário do povo Huni Kuin.
Consciente da importância de manter vivos os conhecimentos e rituais ancestrais do povo Huni Kuin, Ibã criou o MAHKU, Movimento dos Artistas Huni Kuin, em 2013.
O coletivo MAHKU adota o desenho e a pintura para traduzir visualmente as canções sagradas ancestrais de sua comunidade. Suas pinturas são uma representação das visões produzidas durante os rituais de canto e ingestão de "nixi pae", ou ayahuasca.

O coletivo trabalha com o programa de pesquisa Espírito da Floresta e com o apoio do Laboratório de Imagem e Som (LABI) e da Licença Indígena, ambos da UFC-Campus Floresta.
O coletivo já expôs na Fondation Cartier, em Paris, no Museu de Arte Moderna de São Paulo, no MAM, no CCBB do Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e Belo Horizonte, no Instituto Moreira Salles e na Pinacoteca de São Paulo, entre outros. 

Você pode rever essa conferência em nossa página do Facebook clicando

aqui.

Conférence #1  L’action de Survival International et de l’Espace Frans Krajcberg  un lien

O TRABALHO DA SURVIVAL INTERNATIONAL E DO ESPACE FRANS KRAJCBERG: UM ELO ENTRE O OCIDENTE E OS POVOS INDÍGENAS
  

28 de janeiro de 2021 - Que ferramentas podemos usar para realizar ações concretas? 

 
A série começa com uma discussão inicial sobre a importância do ativismo, dando às pessoas as ferramentas necessárias para agir, tanto on-line quanto pessoalmente, em prol dos povos indígenas, da natureza e da humanidade como um todo. 

Você pode assistir a essa palestra em nossa página do Facebook.

LECYTHIDACEAE_2_2_050.jpg

UMA HISTÓRIA DE RESISTÊNCIA INDÍGENA NO BRASIL E NA GUIANA FRANCESA

10 de fevereiro de 2021 - Conferência ao vivo em nossa página do Facebook
Survival International / Espaço Frans Krajcberg

 

Você se lembra que a floresta amazônica se estende até a França e é (parcialmente) parte da União Europeia?
Você se lembra que algumas comunidades indígenas falam francês e são nossos concidadãos?
Por mais estranho que possa parecer, já é hora de nos alarmarmos com o destino dessas pessoas e da floresta que Frans Krajcberg e Sebastião Salgado defenderam de corpo e alma.

O objetivo da nossa segunda conferência com a Survival International é falar sobre a resistência indígena na Amazônia francesa (Guiana) e brasileira, e estamos convidando a Juventude Indígena da Guiana e de Outros Brasis para testemunhar.

 

Você pode assistir à conferência em nossa página do Facebook clicando neste link: 

Contos da resistência indígena amazônica: exemplos cruzados do Brasil e da Guiana Francesa | Facebook

bottom of page